“Este tipo de declaração também é algo perigoso. Você acaba dando ‘poder’ a bandidos, que representam 0,00001% de qualquer torcida organizada”, disse o uruguaio, à ESPN.

“E se alguém infiltrado atirar uma pedra no ônibus? Duvida que aconteça? Só espero que a intenção neste barulho todo prévio não seja diminuir a festa da nossa torcida, tradicional na chegada do São Paulo ao estádio”, acrescentou.

“Parece-me o tipo de postura de quem não jogou futebol”, finalizou.

Na última quinta-feira, o presidente do TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva), Antônio Olim, afirmou em entrevista à ESPN que se o clube alvinegro não entrar em campo, a atitude “teria consequências” no tribunal.

O Timão, porém, já enviou ofícios informando sua decisão à Federação Paulista de Futebol, ao São Paulo, ao Ministério Público e à Polícia Militar.

“Se quebrar vidro, nós não entramos no campo. No estádio vamos ter que entrar. Se quebrarem o vidro com a gente entrando, imagina dando meia volta (para sair do Morumbi). Se quebrarem o vidro do ônibus do Corinthians, o Corinthians não joga. Acabou. Podem dar WO, podem fazer o que quiserem. Essas coisas tem que acabar”, afirmou Andrés Sanchez.

Fonte: ESPN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui