O grupo de jogadores do Corinthians se reapresentou hoje ao CT Joaquim Grava, depois de dois dias de folga, ainda com a cabeça inchada depois de ceder o empate ao Ceará no último sábado, pela penúltima rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

A diferença para o Flamengo, líder da tabela de classificação, aumentou para sete pontos, mas não fez a equipe perder a fé na disputa pelo título, como diz o atacante Vagner Love.

“O Corinthians tem chance, acredito muito nisso. Um tempo atrás estávamos 15 pontos do líder e hoje são sete. O campeonato não terminou nem o primeiro turno, tem muito para acontecer. Acredito que [o Corinthians] esteja muito na briga pelo título” , disse o atacante, que se fia na invencibilidade de 14 jogos pós-parada da Copa América como um dos argumentos em defesa do time.

“A rapaziada está agourando legal. Tomara que a gente continue invicto por muito tempo. Mas sabemos que uma hora vai acontecer uma derrota, temos que estar preparados. Mas fico feliz pela evolução.

A equipe que vinha em formação, construção, mais de 15 jogadores trabalhando juntos pela primeira vez, primeira vez com o Fábio. Muitos jogos, viagens. Agora estamos nos encontrando, pegando uma maneira de jogar, os jogadores se conhecendo.

Isso faz com que a gente esteja atento, tendo conhecimento, o dia a dia está sendo bem aproveitado” , refletiu o artilheiro da temporada corintiana empatado com Gustavo, com 11 gols.

O Corinthians caiu para a quarta posição da tabela de classificação na última rodada, quando empatou em casa com o Ceará. Tem 32 pontos, um a menos que o Palmeiras, cinco de desvantagem em relação ao Santos e sete atrás do líder Flamengo.

Paralelamente, se prepara para a disputa das semifinais da Copa Sul-Americana, em que enfrentará o Independiente del Valle, do Equador. Com tantos objetivos, Love faz uma cobrança ao elenco: concentração.

“A gente fica com o sentimento muito ruim [pelo empate contra o Ceará]. Tudo que eu falar não vai ser justificativa pelo que fizemos dentro do jogo. Não estou aqui pra dar desculpa. Erramos, nós jogadores temos que assumir essa responsabilidade. Fisicamente não digo que seja [a explicação].

Talvez pode ser um pouquinho mais de concentração. Se pegar o jogo contra o Atlético-MG o time correu, se comportou e foi premiado no fim. Não é parte física. Talvez essa parte de concentração, de estar mais ligado, mais atento, acreditar.

Para que não aconteça o que aconteceu, de um escanteio, uma bola parada, coisas que dificilmente tomamos gol, e fica esse clima de tristeza, de derrota, que poderíamos talvez ter nos concentrado um pouco mais.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui