Foto: Daniel Augusto

Emerson Sheik, nascido como Márcio Passos de Albuquerque, estreou pelo Corinthians há exatos oito anos, em um Corinthians x Flamengo. Na tarde de 05 de junho de 2011, no estádio do Engenhão no Rio de Janeiro, o Timão empatava contra o rival carioca por 1 a 1, com gol de Willian para um público de mais de 35 mil pessoas. No entanto, o jogo ficou marcado como a primeira vez que Sheik entrou em campo com o manto Alvinegro. O lendário atacante corinthiano iniciava, naquele dia, aquilo que seria uma história de muitos títulos e alegrias para a Fiel Torcida.

Sheik chegou ao Parque São Jorge com 32 anos, após uma passagem de seis anos no futebol japonês e outra de cinco anos no Qatar. O artilheiro foi considerado um dos melhores jogadores que já passaram pelo Oriente Médio, e, inclusive, chegou a se naturalizar catariano para jogar pela seleção do país -daí o apelido de Sheik. De volta ao Brasil, em 2009, jogou pelo Flamengo, onde conquistou o Campeonato Brasileiro. Após uma curta passagem pelos Emirados Árabes, já em 2010, foi para o Fluminense, onde também foi campeão nacional. Até que em 2011 chegou ao clube que se tornaria ídolo, o Sport Club Corinthians Paulista. Na sua apresentação, disse: “Sou pé quente”.

O camisa 11 foi peça fundamental do elenco corinthiano na conquista do Brasileirão de 2011, sendo um dos principais jogadores da campanha do pentacampeonato e tornando-se o primeiro jogador a ser campeão nacional três vezes seguidas por três clubes diferentes.

Em 2012, na Copa Libertadores, Emerson Sheik gravou para sempre o seu nome na história do Todo Poderoso Timão. O atacante foi extremamente decisivo durante toda a competição. Emerson marcou um golaço inesquecível na Vila Belmiro, no jogo de ida da semifinal contra o Santos, garantindo a vitória e a vantagem do empate na segunda partida, no Pacaembu. Já nos jogos da final, que todo corinthiano lembra perfeitamente com muita emoção, também foi autor de lances cruciais. No primeiro jogo, na La Bombonera lotada, contra o Boca Juniors, deu bela assistência para Romarinho marcar o gol de empate e levar a decisão para o jogo de volta na Saudosa Maloca. E na tão esperada decisão do torneio continental, Sheik brilhou e marcou os dois gols da partida, dando o desejado título inédito ao Corinthians. Para finalizar um ano perfeito, em dezembro foi também campeão do Mundial de Clubes da FIFA, o bicampeonato do Timão.

Em 2013, Emerson foi campeão paulista e da Recopa Sul-Americana. No entanto, o atacante acabou se afastando do clube em 2014. Depois de sua saída do Corinthians, passou pelo Botafogo, até voltar em 2015 para o Corinthians, quando foi campeão mais uma vez, com outro título do Campeonato Brasileiro, o hexa de 2015. Sheik deixou novamente o Alvinegro e voltou para o Rio no mesmo ano, quando jogou pelo Flamengo. Após passagem pela Ponte Preta em 2017, o ídolo corinthiano voltou para o Coringão no começo de 2018. Emerson Sheik, foi novamente campeão, dessa vez do Campeonato Paulista ao Corinthians, em uma decisão marcante em cima do maior rival Palmeiras.

Sheik teve seu contrato renovado e no final do ano, declarou sua aposentadoria encerrando sua carreira no time que mais foi vitorioso. Ao todo, foram sete títulos, 196 jogos e 28 gols, que construíram uma jornada que jamais será esquecida pelo torcedor corinthiano. Oficialmente longe dos gramados, o herói alvinegro tornou-se coordenador técnico do próprio Corinthians, onde ainda ajuda a construir a história do maior time do Brasil.

Fonte: Corinthians.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui