O Corinthians recebe a Chapecoense nesta quarta-feira, às 16h, na arena em Itaquera, preocupado em ser mais ofensivo, pressionar mais o adversário, e buscar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

Depois da derrota para o Bahia na estreia da competição, o técnico Fábio Carille teve pouco tempo para ajeitar a equipe. A favor do treinador está o conhecimento do time adversário. É o terceiro encontro entre as equipes em 15 dias. Os outros dois foram pela Copa do Brasil, com vantagem do Corinthians, que se classificou para as oitavas de final – perdeu o duelo de ida por 1 a 0, mas venceu a volta em casa por 2 a 0.

O que preocupa é a falta de poder do ataque do Corinthians, que no ano marcou somente 32 gols em 28 jogos. “Temos que gostar de ficar com a bola, ter prazer de atacar o adversário e agredir. Defensivamente temos um plano tático esclarecido para todos. Temos que jogar no campo do adversário, ter um jogo vertical e criar oportunidades. Contra o Bahia, tivemos uma posse de bola mentirosa, pois não vencemos. Mas é importante ter isso no campo de ataque para criar chances de gol”, disse o volante Ramiro.

O jogador terá mais uma oportunidade entre os titulares porque Junior Urso ainda não se recuperou de lesão na coxa direita, sofrida ainda no primeiro jogo da decisão do Campeonato Paulista com o São Paulo. Além do volante, o time não terá o zagueiro Henrique, o lateral-esquerdo Danilo Avelar e o centroavante Gustagol.

“A gente fica triste quando tem colega no DM, mas faz parte da profissão. Temos que enaltecer quem vai entrar e vai procurar dar conta do recado. Vamos tentar manter o nível de atuação, melhorar o entrosamento”, comentou Ramiro.

Carille não confirmou a escalação da equipe. Nos treinos durante a semana, tratou de preservas os titulares para evitar novas perdas por lesão. A tendência é que ele repita o time da estreia, com trio de ataque formado por Pedrinho, Boselli e Clayson.

Fonte: Estadão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui