O sonho de milhões de torcedores corinthianos é de conhecer o templo sagrado, mais conhecido como Arena Corinthians, o estádio do Timão que foi inaugurado em 2014, onde acabou sediando uma Copa do Mundo, sendo o palco de abertura.

Infelizmente, muitos corinthianos não tem condições de realizar este sonho, seja por distância, permissão dos pais ou então o mais comum, as condições financeiras. Não é atoa que quando o Corinthians realiza um treino aberto, a fila para trocar alimentos pelo ingresso fica enorme.

Uma torcedora do Corinthians, Liah Mattos, acabou tendo uma grande ideia que acabou realizando o sonho de muitos: decidiu levar crianças corinthianas que nunca foram para o estádio. Além de tudo, o lanche e uma camisa do Corinthians era o pacote perfeito para este dia tão especial para os pequenos torcedores alvinegros.

Ano passado, na greve dos caminhoneiros, Liah comprou dois ingressos para assistir o Corinthians, sendo um para ela e outro para seu primo, do interior. Por conta da greve, seu primo não pode ir para o jogo e pediu para Liah repassar seu ingresso. Foi assim que essa grande ideia iniciou.

Liah também espera uma ajuda do Corinthians, que infelizmente até hoje nunca ofereceu nenhum tipo de ajuda. Mas mesmo assim, ela segue firme neste projeto do bem e conta até com ajuda de outros torcedores, que às vezes doam uma camisa ou até mesmo ingresso para as crianças.

Confira nossa entrevista exclusiva com Liah Mattos, que realiza sonho das crianças corinthianas:

Qual foi a sua iniciativa para levar crianças para a Arena Corinthians? E porque você optou por crianças?

R: Ano passado havia comprado 2 ingressos para ir no jogo, um pra mim e um pro meu primo do interior. Com a greve que ocorreu naquele período, meu primo não pode vir, sendo assim teria que repassar os ingressos. Quando cheguei na arena, como é de prache, comprei uma cerveja até dar o horário de entrar. Começamos a conversar, e o filho da vizinha estava junto, ela me disse que ele ajudava às vezes com as vendas das balas, fiz algumas perguntas como ‘ele torce pro Corinthians’, ele já foi em algum jogo’ e etc… Ela me disse que sim, que era Corinthiano mas, que nunca havia ido em nenhum jogo. Escutei o restante da história, continuei tomando minha cerveja, e com a proximidade do jogo resolvi entrar, como eu acho essa coisa de ficar passando ingresso muito chata, resolvi pedir à ela que deixasse o mesmo ir no jogo comigo. No momento ela ficou incrédula, me agradeceu muito e permitiu que eu o levasse, combinamos um local para que pudéssemos encontrar após o jogo e assim seguimos. Nunca foi algo que eu me preparei ou programei para fazer, simplesmente aconteceu, eu gostei da experiência e estou tentando desenvolver um ‘projeto’ com parcerias para dar continuidade.

Você recebe ou já recebeu algum tipo de ajuda do próprio Corinthians? Caso não, gostaria que tivesse?

Não. Não recebi. A repercussão foi maior do que eu imaginava, inclusive às palavras do ‘Casão’ me deixou bastante emocionada. Em relação ao Corinthians, eu esperava um contato mas, o mesmo nunca veio. Como não era o meu objetivo inicial que o clube fizesse contato, não criei expectativa. Então, vida que segue.

Em Março de 2019, a sua atitude acabou sendo transmitida pelo Globo Esporte. O que mudou depois da repercussão? Acabou recebendo mais ajuda com ingressos ou mais crianças te procurando?

R: Fiquei bem feliz com a repercussão, recebi muitas mensagens e muitas histórias de crianças, jovens e adultos que nunca foram na arena e tem esse sonho. Mas, infelizmente eu não tenho ‘braços’ para realizar todos esses sonhos. Dentro das minhas condições tenho tentado continuar com o que fazia antes. E sim, no jogo seguinte à reportagem havia um grupinho de crianças me aguardando na porta do estádio para que eu pudesse levá-los ao jogo. Às vezes ainda recebo histórias e pedidos. A ajuda que tenho é de amigos mesmo que se oferecem pra pagar o ingresso ou com a própria camisa que costumo comprar para a criança que me acompanha. Afinal, a experiência tem que ser completa. Ingresso, uniforme e lanche!

Conte uma história de alguma criança que você levou para a Arena e que te emocionou bastante.

R: Dificil. Todas elas me emocionaram. O Gabriel por exemplo, trabalhava com a vizinha vendendo balas e tentava juntar grana pra ir no jogo, sempre quando estava próximo de conseguir, a mãe precisava do dinheiro pra comprar alimentos pra casa. A do Marcos, um garoto de comunidade, disse que às vezes não ia na escola porque chovia muito e ele não tinha mochila pra levar os materiais pra escola, e que a casa dele sempre alagava com as fortes chuvas. O próprio Peterson (da reportagem), ajuda o pai a catar latinhas na porta do estádio em dias de jogo, e disse que NUNCA havia ganho uma camisa do time, o que mais me emocionou foi o fato dele ter guardado um dos lanches pra levar pro irmão. É sempre muito emocionante esse contato com eles. Faz a gente repensar sobre diversas atitudes. Por mais que pareça muito pouco pra gente, pra eles é algo inesquecível.

Confira o vídeo da reportagem que Liah Mattos aparece no Globo Esporte:

 

A equipe do SCCP Online agradece Liah Mattos pela entrevista exclusiva e aproveita para parabenizar essa atitude maravilhosa. Torcemos também para que o Corinthians comece a disponibilizar ingressos para que mais sonhos sejam realizados, afinal, somos o time do povo.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui