Nos últimos meses o COVID-19 vem assolando todo o mundo, contaminando milhares de pessoas e sendo responsável por inúmeras mortes. Com essa pandemia mundial, muitas setores foram afetados, sofrendo mudanças drásticas para tentar conter o vírus e retardar sua propagação. Estabelecimentos comerciais fechados, consultórios com restrição de número de pacientes e outras medidas, que todos nós já sabemos, foram tomadas.

Um setor que foi igualmente afetado, foi um dos mais amados pela maioria dos brasileiros: nosso querido futebol.

Faltando algumas rodadas para o fim dos campeonatos estaduais, o vírus chegou ao brasil e paralisou tudo. Os estaduais não terminaram e o Brasileirão, que começaria em breve, foi suspenso até segunda ordem.

Agora, após semanas convivendo com a ameaça do vírus e com menos pânico, discussões a respeito de um retorno começam a surgir. Claro que as federações, televisões e clubes tem seus interesses financeiros, mas o povo também está carente de alegrias.

Mas esse não é o assunto de hoje.

Estou aqui para dar uma sugestão, que ainda não vi circular na mídia, para a CBF e os clubes.

Por que não adaptar o calendário do futebol brasileiro com o europeu?

Nos últimos dias pipocaram na internet notícias dizendo que o Brasileirão retornaria logo, porém, com jogos apenas em São Paulo, para evitar viagens, e com um sistema de grupos com mata-matas no final, para diminuir a quantidade de jogos.

Mas já que estamos pensando em mudanças drásticas, o melhor seria pensar a longo prazo e aproveitar uma ‘catástrofe’ para melhorar a qualidade do nosso futebol e tornar tudo mais fácil para jogadores, clubes, seleção e patrocinadores.

Aqui vai a minha proposta:

Em junho, com a situação do COVID-19 mais controlada (se Deus quiser), retornaríamos com os estaduais que seriam terminados integralmente. Em seguida, os jogadores receberiam novas férias, independente das que foram dadas nesse período de quarentena.

Assim, em agosto, se inicia o novo Brasileirão. Sim, nos mesmos moldes da Europa.

Eu sei que na Europa também estão com o mesmo problema de adiamento de jogos, mas por eles terem um calendário menos apertado, com certeza conseguirão adequar tudo ao longo de sua próxima temporada. Vai ficar apertado, mas eles não vão abrir mão de uma temporada 2021-2022 completa e sem interferências.

Nessa nova temporada brasileira, teríamos o Brasileirão 20-21, a Copa do Brasil 20-21 e a Libertadores 20-21.

Claro que a Libertadores teria que ser uma decisão da Conmebol, mas creio que seria possível convence-los de que essa adaptação seria incrivelmente boa para a visibilidade da competição, já que outras mudanças já foram feitas para se adequar à Europa, como a final em jogo único e as fases pré-grupos.  Além do mais, a Argentina já adaptou o seu calendário ao da europeu, o que seria um bom incentivo para a Confederação.

Sem um campeonato estadual interferindo na temporada, essa edição inicial no novo formato seria mais tranquila e possibilitaria até folgas e férias no período das festas no fim de ano. Na próxima, 21-22, o estadual seria diminuído e espaçado ao longo de toda a temporada, como a Copa do Brasil, por exemplo.

Além de se permitir a volta do futebol no país com um campeonato competitivo e sem ‘gambiarras’, essa mudança traria melhorias para a estrutura futebolística brasileira. As janelas de transferências bateriam com as europeias e evitariam o desmanche de elencos nacionais no meio da temporada para os poderosos clubes europeus.

Ainda tornaria possível a realização de pré-temporadas com torneios internacionais envolvendo europeus e um melhor poder de negociação de empresários e clubes brasileiros com os do velho continente.

E, por fim, essa mudança traria benefícios para televisões e patrocinadores, que seriam beneficiados com um futebol mais organizado, com mais qualidade e cada vez mais forte, trazendo novos telespectadores e possíveis audiências internacionais.

Não podemos negar que os próximos meses seriam de prejuízo até o início do brasileirão, mas isso já é o esperado e acontecerá de qualquer forma. Com um bom marketing, esse novo modelo de temporada será um sucesso.

É claro que tudo isso depende de inúmeras mudanças e muita discussão. Mas já que estamos em meio ao caos, por que não tentar diminui-lo?

Alô CBF, qualquer dúvida pode entrar em contato comigo. 😉

Imagem: Fernando Moreno/AGIF

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui