Corinthians
Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

2020 não foi um ano bom para o Corinthians. Após quatro anos, o time passou em branco e não conquistou nenhum título. O Timão foi eliminado ainda na fase preliminar da Copa Libertadores, ficou com o vice-campeonato do Paulistão, parou na estreia na Copa do Brasil e ainda nutre esperanças de encerrar o Brasileirão de forma digna, e assim garantir vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

A chegada de Vagner Mancini na primeira quinzena de outubro fez bem ao Corinthians, após os insucessos com Tiago Nunes e o interino Dyego Coelho. Com o atual treinador, o Timão deixou a zona do rebaixamento do Brasileirão e passou para a primeira metade da tabela de classificação, assim entrando na briga por vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Já são seis rodadas de invencibilidade (quatro vitórias e dois empates).

A temporada 2020 só será concluída em fevereiro devido à paralisação do futebol brasileiro no primeiro semestre em função da pandemia do coronavírus. Assim, o Timão terá mais 11 jogos no Brasileirão para buscar a vaga na principal competição sul-americana.

Mais lidas da semana:
Diretor do Corinthians fala sobre Arena envelopada de preto.
6 jogadores que a Fiel dispensaria do time do Corinthians; veja lista.
Números retratam evolução de Corinthians com Mancini.

Importante destacar que o Corinthians, assim como qualquer clube, não poderá contratar nenhum jogador até o fim do Brasileirão. Mancini vai precisar usar o que tem à disposição no elenco.

Traz certo alívio o fato de Mancini, enfim, ter achado a formação ideal após Tiago Nunes e Coelho não terem chegado nem perto.

Cássio; Fagner, Gil, Jemerson e Fábio Santos; Gabriel e Cantillo (Ramiro); Gustavo Silva, Cazares e Otero; Jô. Esse deve ser o time para iniciar 2021.

O Corinthians finalizou o ano com maior poder defensivo. Afinal, sofreu apenas um gol nos últimos seis jogos. Deu para perceber nas vitórias sobre São Paulo (1 a 0), Goiás (2 a 1) e Botafogo (2 a 0) um time com maior poder de criação e com jogadas trabalhadas. Resta, no entanto, aprimorar as finalizações. Nestes jogos, a equipe criou muitas chances e poderia ter vencido com placares mais confortáveis.

Para a próxima temporada, que terá início logo após o fim do Brasileirão, o torcedor corinthiano não deve esperar reforços de impacto. Segundo o UOL Esporte, a diretoria vai priorizar o enxugamento de contas no primeiro ano da gestão Duilio Monteiro Alves e fazer aquisições pontuais.

As principais missões de Duilio no início da gestão devem ser as renovações contratuais de  Jemerson, Otero e Cazares. Os jogadores têm contrato até junho. Mantê-los por mais tempo será fundamental para que o time brigue por títulos. Mancini, que deixou ótima impressão na reta final de 2020, tem contrato apenas até o fim do Brasileirão, mas a tendência é que o vínculo seja prorrogado.

As categorias de base devem ser olhadas com mais carinho pela comissão técnica. O centroavante Cauê, destaque do Sub-20, pode ser promovido em janeiro. O meia Vitinho, também do Sub-20, é outro nome com potencial a integrar os profissionais.

Pratas da casa têm sido aproveitados com frequência por Mancini, casos dos volantes Xavier e Roni, do lateral-esquerdo Lucas Piton e do meia Gabriel Pereira. No entanto, nenhum deles vem sendo titulares.

É possível, sim, o torcedor corinthiano esperar num 2021 melhor que o de 2020 após a ótima impressão deixada nos jogos de dezembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui