As eleições para definir o novo presidente do Corinthians estão chegando, e por esse motivo o SCCP Online inicia entrevistas exclusivas com os possíveis futuros mandatários do Timão nos próximos anos. Hoje, batemos um papo com Felipe Ezabella, candidato como vice-presidente do Corinthians ao lado de Mário Gobbi.

No bate papo, Felipe contou o que a Fiel Corinthiana pode esperar como vice-presidente caso seja eleito. O candidato respondeu sobre categorias de base, dívidas do clube, nova reformuação, sede social e muito mais. Confira abaixo a entrevista exclusiva:

1) O que o torcedor corinthiano pode esperar do Felipe Ezabella como vice-presidente do Corinthians caso vocês sejam eleitos no próximo dia 28 de novembro?
R: Muito trabalho, dedicação e transparência. Sabemos que não vai ser fácil e nem rápido fazer as mudanças desejadas, e que a torcida, muitas vezes, não entende. Mas vamos tratar dos assuntos falando a verdade com o nosso torcedor.

2) Vocês já tem um esboço da equipe de trabalho para a gestão do Corinthians? Haverá uma profunda reformulação da diretoria de futebol?
R: Temos sim, apresentamos junto com o projeto os nomes das principais pessoas que participaram do estudo e participarão da gestão. Contamos ainda com outros nomes que aos poucos, após a vitória nas urnas, vamos anunciar.
Quanto ao futebol, também temos um planejamento, mas como o campeonato estará em plena reta final, temos que tomar todo o cuidado do mundo para não atrapalhar o ânimo da equipe. Acredito que as principais mudanças serão, como sempre acontece, ao término da temporada.

3) Os recentes balanços do Corinthians tem mostrado que a dívida do clube tem crescido substancialmente nos últimos anos. Qual é o plano de gestão que você e o Mario Gobbi tem desenhado para o clube?
R: Primeiro tratar todas as questões com muita transparência. Não tem porque continuar ludibriando o nosso torcedor. Segundo pretendemos contar com o auxílio de uma das grandes empresas de auditoria e governança do mundo, não apenas para nos ajudar a identificar os excessos administrativos, como também para ajudar a trazer a credibilidade que tanto nos tem faltado no mercado com a implantação de um programa completo de GRC – Governança, Risco e Compliance. Em termos de receitas, vamos investir em tecnologia, em informação de dados para buscar dinheiro “novo” no mercado. Isso tudo está detalhado em nosso programa que pode ser acessado no site a Reconstrução Corinthiana.

Mais lidas da semana:
+ Jadson entra na justiça contra o Corinthians cobrando direitos de imagem.
+ Bayern “esquece” Corinthians campeão mundial de 2012; Timão responde.
+ Perfil vaza imagens de suposta ‘quarta camisa’ do Corinthians para 2020.

4) Nos últimos anos, o Corinthians deixou de brigar nas cabeças em grandes competições e muito em razão de contratações vistas como equivocadas. Como vocês pretendem trabalhar a atuação do time no mercado da bola para voltar aos holofotes – e sem se estourar financeiramente?
R: Com muita informação de dados, com investimento no CIFUT. Temos que mudar a cultura atual de “agent driven” para “scout driven”, ou seja, não podemos mais ser guiados por interesses de agentes, mas sim por questões técnicas.

5) Time sub-23, futebol de base, futebol feminino e esportes olímpicos do Corinthians tem chamado atenção nos últimos anos. Como vocês pretendem valorizar as modalidades e colocá-las em destaque?
R: O futebol de base tem que ser a prioridade. O futuro do clube passa pela detecção e formação de atletas. Vamos investir bastante nesse departamento.
O sub23, infelizmente, teve seu foco todo desviado. Não era para ser uma equipe “contratante” de atletas, mas sim desenvolvedora de talentos tardios. Precisamos reformular todo esse departamento. Infelizmente como os jogadores todos têm contratos garantidos, é muito difícil falar simplesmente em extingui-lo. Temos que achar uma solução que minimize os gastos.
Os esportes olímpicos e futsal vão continuar. Logicamente que com a crise financeira não terão os aportes financeiros para o desenvolvimentos de equipes que custem milhões/ano, mas vamos priorizar a base e a formação. Com a obtenção das certidões negativas, pretendemos também trabalhar com a lei de incentivo ao esporte.

6) Existem ideias a serem trabalhadas para beneficiar o Fiel Torcedor? A estrutura da sede social do Timão hoje também é criticada e precisa de melhorias. O que vocês planejam fazer?
R: O fiel torcedor precisa e será reformulado. Não pode ser um programa exclusivo para compra de ingressos; tem que ser algo maior, que qualquer torcedor, mesmo o que more mais distante possível da Neo Química Arena possa e queira filiar-se. Estamos trabalhando nisso.
Já o clube social, agora, não podemos prometer grandes obras. Apenas vamos melhorar a zeladoria, o cuidado necessário com o nosso patrimônio para o bem estar do associado. Quem sabe com o tempo e com a melhora financeira seja possível fazer novas benfeitorias.

7) Felipe, deixe um recado ao torcedor corinthiano sobre o que vocês têm como grande meta para o clube em caso de sucesso nas eleições.
R: A grande meta é devolver o Corinthians para os torcedores. Esse sentimento de pertencimento que, nos últimos anos, tem se perdido aos poucos.

A equipe do SCCP Online agradece ao Felipe Ezabella pela atenção em contar seus projetos para nossos eleitores. Também criamos uma enquete para você votar no seu favorito para ser o novo presidente do Corinthians. Para votar, basta acessar este link ou então acessar a home de nosso site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui