Encostado no Corinthians, Romero está na mira de times da Europa e pode jogar Champions League


Romero está em contagem regressiva para deixar o Corinthians. Em julho se encerra o vínculo entre clube e jogador, e aí sim o paraguaio poderá rumar a outra equipe para dar sequência na carreira.

Tanto o presidente Andrés Sanchez quanto o técnico Fábio Carille já deixaram claro, publicamente, que não há mais chance de acordo para uma renovação de contrato. Romero segue em silêncio.

Assim, o que há no momento é uma correria dos empresários para encontrar um time para Romero voltar a jogar no segundo semestre da temporada. O portal Gazeta Esportiva apurou que o Alavés, da Espanha, e o Atalanta, da Itália, são dois dos interessados. A equipe á a sensação do Campeonato Italiano, não perde há dez rodadas e está se classificando para a próxima Liga dos Campeões. Fase diferente vive o Alavés, em nono na competição espanhola e há oito jogos sem vitórias.

Os europeus procuraram as pessoas que trabalham diretamente para o jogador, e sequer consultaram os cartolas corintianos. Por enquanto, nada passou de uma sondagem, mas a expectativa é por uma proposta concreta em breve.

Em 2018, o Bologna já havia manifestado interesse, mas as tratativas não avançaram. No Corinthians, Romero sempre recebeu em dólar e seu salário está na casa dos R$ 415 mil por mês, já convertido para a moeda brasileira.

Enquanto nada se resolve, o foco do atacante está todo voltado para a Copa América. Romero contratou até uma equipe de profissionais para atingir o melhor de sua forma física no intuito em convencer a comissão técnica de seu país de que pode ser útil mesmo sem jogar desde dezembro do ano passado.

O Corinthians contratou Romero em 2014 sem desembolsar um centavo. À época, o clube se comprometeu a ressarcir o empresário Beto Rappa ao fim do vínculo do atleta, caso o jogador não fosse vendido, exatamente como se apresenta o atual cenário.

Beto Rappa pagou 3 milhões de dólares (R$ 6,7 milhões, na ocasião) para tirar Romero do Cerro Porteño-PAR. Com o valor corrigido, como prevê o contrato, o Corinthians deve pouco mais de $ 11 milhões ao empresário.

Postar um comentário

0 Comentários