Romero - De artilheiro da arena à jogador prejuízo

Ángel Romero chegou ao Corinthians no meio do ano de 2014, trazido por um grupo de empresários que pagou U$ 3 milhões (R$ 6,8 milhões) ao Cerro Porteño. Um dos destaques da copa libertadores daquele ano. Na época o diretor de futebol Ronaldo Ximenes e o presidente Mário Gobbi não dispunha do dinheiro e aceitaram a negociação.

Foto: Reprodução

Romero demorou para se afirmar no Corinthians, no inicio teve poucas chances com os técnicos Mano Menezes e o Tite.

Em meados de 2016 as coisas começaram a mudar, com a perda de vários jogadores para a China, Romero começou a ter mais chances no time principal. Se tornou uma peça muito importante para o esquema dos técnicos que passaram por lá.

Jogador contestado pela qualidade técnica, mas muito importante por ser voluntarioso. Jogador de esquema tático. Todas as vezes que esteve em campo, não lhe faltou raça e conseguiu se tornar o artilheiro da Arena Corinthians com 27 gols em 103 jogos.

Mas em 2019 ainda não teve chances e nem terá se não renovar o contrato. Segundo a diretoria atual, desde Junho de 2018 estão em negociação para a renovação do contrato. Foi oferecido 400 mil de salário mais luvas. O que está emperrando o negocio são os U$ 700 mil que foi apalavrado na época da assinatura de contrato que não foi pago. O Corinthians quer diluir este valor nos salários e o jogador e seus empresários querem receber o valor a vista.

O jogador já pode assinar um pré contrato com outro clube e seu contrato termina agora no final de Junho/19 e sairá de graça. Já o Corinthians é obrigado à pagar R$ 12 milhões aos empresários que lhe trouxeram para o clube.

Postar um comentário

0 Comentários