Bola aérea, erro da arbitragem e falta de criatividade: o amargo empate do Corinthians


Esperava-se vida fácil para o Corinthians diante do lanterna São Bento, na tarde deste sábado, em Sorocaba. Mas, na prática, a história acabou sendo bem diferente. Com apenas cinco titulares em campo, o Timão demonstrou dificuldades no quesito criatividade e, em uma partida de baixo nível técnico, terminou castigado pela sua própria inoperância. Consequência: um empate com gosto de derrota e a sensação de que poderia ter rendido mais.

É também verdade que o desfecho poderia ter sido pior. O Alvinegro escapou da derrota muito por conta do erro da arbitragem no primeiro tempo, que validou o lance que originou o gol de Clayson, e impedimentos do São Bento nos gols de Paulo Henrique e Alecsandro, ambos anulados no segundo tempo em jogadas aéreas. Elas, inclusive, continuam aterrorizando a defesa de Fábio Carile.

E não é exagero dizer que o Corinthians parecia amedrontado pelo lanterna da competição. A postura, sobretudo na primeira etapa, mostrava um time preso defensivamente e pouco criativo no setor ofensivo. As melhores chances apareceram quando Boselli exigiu boa defesa do goleiro Henan, aos dois minutos, e Vagner Love conseguiu se movimentar e tabelar com Clayson e Sornoza.

Clayson, inclusive, chegou a dar uma esperança de triunfo. Aos 38 minutos, o meia recebeu a bola de Sornoza e balançou as redes em Sorocaba, decretando fim ao jejum que durava dez meses – já que não marcava desde 22 de abril de 2018. No lance, o equatoriano estava em posição irregular, mas a arbitragem não viu e validou o lance.

O gol e os 45 minutos restantes do segundo tempo poderiam ter dado uma sacudida no Timão. Mas quem ameaçou, de verdade, foram os donos da casa e, por pouco, não complicou a vida do Corinthians. Paulo Henrique, aos 15, e Alecsandro, aos 30 minutos, marcaram e, se não estivessem adiantados, selariam a primeira vitória do São Bento no Paulistão. Ao Corinthians, coube engolir o grande e merecido castigo.

Fonte: Lance!

Postar um comentário

0 Comentários