Em busca da undécima conquista, Timãozinho entra como "zebra" em 2019


Maior campeão da história da Copa São Paulo de Futebol Júnior, com dez títulos, o Corinthians inicia a edição 2019 como azarão. Vencedora da competição pela última vez em 2017, a equipe ainda sofre um processo de reformulação, que começou logo após o título, com a saída do técnico Osmar Loss, que deu lugar ao ex-lateral Dyego Coelho.

Em 2018, o time caiu para o Avaí nas oitavas de final e, após a saída de Fabio Carille do time principal e a promoção de Osmar Loss ao cargo de treinador, Coelho passou a integrar a comissão técnica do profissional e Eduardo Barroca assumiu o sub-20. Credenciado pelo bom trabalho realizado no Botafogo-RJ (onde se sagrou campeão brasileiro sub-20 em 2016), o treinador chegou e levou a equipe ao vice-campeonato paulista da categoria, perdendo a decisão para o Palmeiras.

Mesmo sem conquistas, a equipe evoluiu ao longo do ano nas mãos do novo comandante, escolhido justamente por ter um perfil parecido com seus antecessores, tendo implantado no Fogão carioca uma filosofia de jogo bem parecida, que prioriza a posse de bola, com troca de passes e triangulações para envolver e chegar ao gol adversário.

Contudo, já está claro que o atual momento da equipe a coloca um degrau abaixo dos rivais Palmeiras e São Paulo e do atual campeão da Copinha, o Flamengo-RJ. Mais do que nunca, além do bom futebol, será preciso se impor pela força da camisa e da experiência na competição para superar os adversários.

Os destaques do time atual e que podem ajudar a fazer a diferença são o lateral-esquerdo Caetano, que tenta seguir os passos de Guilherme Arana e Carlos Augusto e ser o próximo garoto da posição a fazer sucesso no time principal. No meio-campo, destaque para o camisa 10, Fabrício Oya, tido como joia da base alvinegra e que busca deslanchar de vez. Mas é no ataque que estão as três principais promessas para 2019: Janderson, Nathan e Fessin dividem a responsabilidade pelos gols e querem brilhar rumo ao time principal.

Fessin, inclusive, chegou no meio do ano vindo do ABC-RN, e obteve mais sucesso que seu companheiro Matheus Matias (que foi contratado para o profissional), sendo relacionado no fim do Brasileirão para alguns jogos do time principal pelo então técnico Jair Ventura. E, enquanto seu antigo colega acabou emprestado, ele agora volta ao sub-20 para ajudar na busca de mais um título e assim, ficar no radar de Fabio Carille para, enfim, ter a oportunidade de seguir e se firmar entre os profissionais.

Postar um comentário

0 Comentários