Copa do Atlântico 1956, a polêmica final que nunca aconteceu


Em 1956 ás federações da Argentina, Brasil e Uruguai realizaram um campeonato precursor aos campeonatos continentais que conhecemos hoje, a "Copa do Atlântico" que reuniu 15 equipes desses países.

Equipes participantes

Argentina
- Boca Juniors
- River Plate
- Racing
- Lanús
- San Lorenzo

Brasil
- Corinthians
- Santos
- Fluminense
- São Paulo
- América-RJ

Uruguai
- Nacional
- Peñarol
- Danubio
- Defensor
- Wanderers


Corinthians e Boca chegaram a final porém não foi realizada a final, mas antes de entrar na polêmica, vamos falar da campanha de ambas equipes até chegar a final.

O Corinthians superou o Danubio na primeira fase após empate de 2x2 no tempo normal e vitória nos pênaltis, superou o Santos nas quartas de final vencendo por 4x3 e por último venceu o São Paulo na semifinal por 2x0.

Já o Boca Juniors venceu o Peñarol por 1x0, o Fluminense por 3x1 e o Lanús por 2x0.

Como já dizíamos a final nunca ocorreu e na época tivemos "problemas" para acontecer a tão desejada final, um deles era que a competição dividia ás atenções com a Copa do Atlântico de seleções, o que acabou gerando uma divergência entre a FPF e a CBD.

Em função de um empate por 0x0 entre Brasil e Argentina pela Copa do Atlântico no dia 08/07/1956, ficou a cargo das entidades definir as datas para o encontro-desempate.



O conflito de interesses entre Brasil e Argentina pela também nomeada "Copa do Atlântico", proporcionou um caso curioso sobre a realização da final entre Corinthians e Boca Juniors.

Na reunião entre brasileiros e argentinos, a AFA considerava que a seleção argentina jogava contra o Brasil no Maracanã ou Pacaembu desde que a CBD concordasse em convencer o Corinthians a ir a Buenos Aires disputar com o Boca Juniors a final da Copa do Atlântico.

A CBD concordou em discutir o assunto com a FPF, porém o posicionamento dos paulistas era o seguinte: ou os argentinos viriam ao Pacaembu, ou a seleção brasileira não contaria com jogadores paulistas.



Na sede da FPF a importante reunião para a definição dos jogos da seleção brasileira contra a seleção argentina quanto o jogo entre Corinthians e Boca Juniors, vivenciou antes, um clima de tensão entre o presidente da CBD Sylvio Pacheco e o dirigente paulista Sr. Paulo Machado de Carvalho que depois da manifestação de outros dirigentes paulistas, foi enfático em dizer que a CBD sempre colocava o futebol paulista em segundo plano (o dirigente da CBD Luís Morgel retrucou as afirmativas), porém o dirigente paulista manteve seu tom enfático dizendo que ele tinha a obrigação em defender o público esportivo de São Paulo. Disse ainda que todos os jogos bons ficam para o Rio de Janeiro e para São Paulo são escalados os "abacaxis".

O dirigente da CBD, Luís Murgel apresentando proposta oficiosa da AFA propôs a data de 15/08/1956, para o embate decisivo entre Corinthians e Boca Juniors em Buenos Aires, e de 6 de setembro para o jogo desempate entre Brasil e Argentina.



O Corinthians, com base no que já havia sido proposto anteriormente, manteve a discordância em ir á Buenos Aires, porém não contrariou que a disputa fosse realizada em 15 de novembro em São Paulo.

O dirigente carioca da CBD, quando apresentou a proposta oficial da AFA, não atentou-se que o Pacaembu estaria ocupado em virtude da Semana da Pátria devidas festividades do feriado da Independência do Brasil visto que o estádio municipal de São Paulo foi requisitado de 1 à 7 de setembro pela 2ª Região Militar.

Luís Murgel informou que seriam realizados esforços em conseguir autorização para que o jogo fosse realizado no Pacaembu, e esclareceu que a AFA deveria concordar em atuar em São Paulo.

No final de tudo isso, tanto a partida de Brasil e Argentina quanto a partida entre Corinthians e Boca não chegaram a um acordo, a seleção inclusive contabiliza a conquista da Copa do Atlântico de 1956 entre seu repertório de conquistas.

Sobre a decisão entre Corinthians e Boca, mais de um ano depois é possível encontrar a edição do jornal O Estado de São Paulo de 28 de dezembro de 1957 informando que ás finais da competição seriam realizadas nas datas de 26/01/1958 e 02/02/1958. Naquele período, o Corinthians excursionava  pela Bahia e em 02/02/1958 inclusive venceu o Flu de Feira por 2x1.


Entretanto se o Corinthians considera a conquista de forma legítima, deveria ao menos considerá-lo dividido com o Boca Juniors.

Mais informações sobre a Copa do Atlântico








Postar um comentário

0 Comentários